Citações importantes para sua redação

via imaginie

1 – “SE A EDUCAÇÃO SOZINHA NÃO TRANSFORMA A SOCIEDADE, SEM ELA TAMPOUCO A SOCIEDADE MUDA.” PAULO FREIRE

Paulo Freire foi um importante educador brasileiro, ao qual dedicamos um post inteirinho para que você saiba sua importância e expressividade para discussões relacionadas à educação (veja AQUI). Portanto, como sua própria atuação sugere, temas que discutem a questão da educação podem ser relacionados à fala desse pensador. Sempre que quiser afirmar como a educação é fundamental para a transformação social em diversos âmbitos, a citação acima é pertinente! 😉

2 – “EDUCAÇÃO NUNCA FOI DESPESA. SEMPRE FOI INVESTIMENTO COM RETORNO GARANTIDO.” — SIR ARTHUR LEWIS

William Arthur Lewis foi um economista britânico vencedor do Prêmio de Ciências Econômicas em Memória de Alfred Nobel em 1979. Sua fala expressa a importância do investimento em educação, algo que nunca será um desperdício, afinal, tem-se como resultado cidadãos conscientes e capacitados para a melhoria de todo e qualquer âmbito social.

3 – “O HOMEM ESTÁ CONDENADO A SER LIVRE, POIS, UMA VEZ LANÇADO AO MUNDO, ELE É RESPONSÁVEL POR TUDO O QUE FAZ.” — JEAN PAUL SARTRE

O filósofo, escritor e crítico francês mais expressivo do movimento existencialista sustenta com esta fala a questão da responsabilidade dos atos cotidianos que todos nós temos. O conjunto de decisões que toma todos os dias é uma expressão de sua liberdade de escolha, e traz consigo consequências, sejam elas boas ou ruins.

4 – “FRÁGEIS USAM A VIOLÊNCIA, E OS FORTES, AS IDEIAS.” — AUGUSTO CURY

Cury é um médico psiquiatra, professor e escritor brasileiro. Sua fala acima pode ser relacionada a temas que discutem o uso da violência, seja ela por parte dos indivíduos ou por parte do Estado, por exemplo. Dizer que “os fortes usam as ideias” é uma expressiva afirmação de serem conscientes e reflexivos resolvem questões por meio civilizados ao invés dos que agridem o direito do outro.

5 – “TEMOS DE NOS TORNAR A MUDANÇA QUE QUEREMOS VER.” — MAHATMA GANDHI

Ghandi foi um líder pacifista indiano, que de forma tão expressiva pregava sobre o amor e a boa convivência. Temas que tratam sobre a transformação social por meio dos jovens, por exemplo, são uma boa forma de relacionar à citação acima, trazendo à tona a questão da responsabilidade de fazer a diferença em sociedade.

6 – “INTELIGÊNCIA É A HABILIDADE DAS ESPÉCIES PARA VIVER EM HARMONIA COM O MEIO AMBIENTE.” — PAUL ATSON, CO-FUNDADOR DO GREENPEACE

O Greenpeace é uma organização global independente cuja atuação diz respeito à defesa do meio ambiente e à promoção da paz. A citação acima pode ser relacionada a temas que discutem o desequilíbrio de convivência do homem com o meio ambiente. Claramente, afirma-se que uma sociedade inteligente sabe proteger o seu bem mais precioso: o planeta Terra.

7 – “A CULTURA ESTÁ ACIMA DA DIFERENÇA DA CONDIÇÃO SOCIAL.” — CONFÚCIO

Confúcio, pensador e filósofo chinês, questionava a moralidade pessoal e governamental, as relações sociais, a justiça e a sinceridade. Com a citação acima, é possível fundamentar questões como direito essencial de acesso à cultura, que é fundamental e que não deve discriminar condições ou classes sociais.

8 – “UM POVO QUE LÊ NUNCA SERÁ UM POVO ESCRAVO.”— ANTÓNIO LOBO ANTUNES

Sempre falamos sobre a importância da leitura, como um processo de educação, emancipação e desenvolvimento da criticidade de todo e qualquer indivíduo. Esse escritor e psiquiatra português é bastante claro quanto a isso na fala acima. Quem é educado pensa, reflete, sabe questionar e criticar, não sendo, no final das contas subjugado ou escravizado, seja literal ou ideologicamente. Essa é uma boa citação para temas que discutem a manipulação ou a pouca criticidade da sociedade para muitos assuntos.

9 – “A INSATISFAÇÃO É O PRIMEIRO PASSO PARA O PROGRESSO DE UM HOMEM OU DE UMA NAÇÃO.” — OSCAR WILDE

Um dos mais importantes escritores da literatura inglesa, Oscar Wilde desperta o pensamento a respeito da evolução — progresso — do ser humano quando é movido pela insatisfação. Ou seja, tirar o indivíduo da sua zona de conforto é uma forma instigá-lo ao crescimento. É possível relacionar essa citação a discussões sobre política, visto que nosso cenário, cada vez mais negativo e expressivamente corrupto, tem despertado a sociedade a um olhar mais crítico sobre nossos governantes e aspirantes aos cargos governamentais.

10 – “VOCÊ É LIVRE PARA FAZER SUAS ESCOLHAS, MAS É PRISIONEIRO DAS CONSEQUÊNCIAS. ” — PABLO NERUDA

Neruda é um poeta chileno, que por meio de sua arte em escrita nos faz refletir sobre nossas liberdades individuais, mas que nos trazem consequências. Em uma vida em sociedade, é preciso pensar na nossa ética de convivência, além das leis sob as quais nos pautamos e seremos julgados.

Discutindo o Tema

via imaginie

  • TENHA EM MENTE QUE OS TEMAS DO ENEM SÃO DE DISCUSSÕES SOCIAIS 

Isso quer dizer que os assuntos pautados na proposta estão na mídia e são discutidos por pessoas próximas a você. Provavelmente você já ouviu falar sobre eles em jornais, leu sobre algo na internet ou aprendeu de alguma forma na escola. Isso acontece porque o Enem espera que façamos inferências a partir do nosso repertório sociocultural. Esforce-se ao máximo para lembrar nem que seja apenas um comentário feito sobre a questão e tente destrinchá-lo como argumento.

  • QUESTIONE O TEMA PROPOSTO 

Para começar a desenvolver uma argumentação sobre o tema, comece a fazer perguntas sobre ele. Exemplo: “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira” > Há violência? De que forma? Por que a mulher é o alvo dessa violência? Por que “persistência”? Ocorre desde quando? Há uma raiz histórica relacionada à questão? Por que questionamos esse problema no contexto social brasileiro especificamente? Ao tentar responder a essas perguntas, reflexões críticas acerca do tema serão suscitadas e você terá uma melhor capacidade de desenvolver o tema.

  • TENTE LEMBRAR SITUAÇÕES OU CONTEXTOS QUE VOCÊ SABE ASSOCIAR À QUESTÃO ALI PROPOSTA  

Seguindo, ainda, o exemplo acima, pense em quais situações você se lembra a respeito. Você já ouviu falar sobre mulheres violentadas? De quais formas? Anote. Em quais contextos? Ambiente profissional ou doméstico? Anote. Junte o maior número possível de associações sobre o assunto, crie tópicos e, a partir de então, dê profundidade de reflexão crítica a eles.  

  • EXPLORE OS TEXTOS DE APOIO  

Fizemos um post exclusivo para te ensinar o que fazer com os textos motivadores, e te indicamos detalhadamente o propósito de eles estarem ali. Basicamente, a função do texto de apoio é nortear o candidato sobre o assunto, principalmente em situações como essas, em que ficamos um pouco perdidos sobre o que falar a respeito. Leia AQUItudo que você precisa saber para explorar adequadamente os textos de apoio e usá-los ao seu favor se der “um branco” na hora da prova.  

  • TENHA CALMA E PERMITA-SE REFLETIR  

Sabemos que não é uma situação confortável ficar perdido na hora de produzir. Mas também não adianta se desesperar. Você já sabe que precisará organizar calmamente uma linha de raciocínio sobre um assunto do qual não domina, portanto, tenha calma! Use as dicas acima e dedique-se ao máximo para fazer uma boa redação. Saia da prova tendo certeza de que você deu o seu melhor!

  • SEJA CRÍTICO: POR QUE DISCUTIR SOBRE?  

Uma das perguntas-chave que você deve fazer a si mesmo quando se deparar com o tema é: por que discutir sobre isso? Qual é a relevância desse assunto? Assim você já desperta criticidade para problematizar a questão e direcionar o desenvolvimento para a defesa de uma tese.  

  • TREINE! 

Ok, essa dica não vai adiantar muito quando você já estiver fazendo a prova, mas ela entra aqui como um alerta: não deixe de treinar! Quanto maior o número de temas com os quais você tiver contato, maior a chance de você não ser pego de surpresa na hora da prova. Para já colocar essa dica em prática, acesse AQUI nossos temas de redação (são mais de 200 só do Enem!) e coloque a mão na massa! 😉

DICA DE REDAÇÃO: TIPOS DE PARÁGRAFOS ARGUMENTATIVOS

Via imaginie

Sabemos que para desenvolver bem um texto é preciso compreender e escolher estratégias argumentativas. Elas influenciam na capacidade de convencimento do leitor de que suas ideias são válidas, portanto, é algo importante de ser estudado. A seguir, listamos 6 tipos de estratégias argumentativas para você usar na redação.

Antes de abordá-las, é importante esclarecer que ARGUMENTO é diferente de ESTRATÉGIA ARGUMENTATIVA. O argumento, que é individual e pautado em sua opinião e em seu conhecimento, pode ser desenvolvido por meio das estratégias argumentativas, que vamos estudar agora.

Ao definir quais argumentos você tem para defender um determinado tema, seja por argumento de autoridade (sustentado por informações de especialistas), provas concretas (respaldadas por dados e estatísticas) ou analogias (apostando na ideia de igualdade de situações), é necessário, então, organizar de que forma isso poderá ser escrito na redação.

  • EXEMPLIFICAÇÃO

 Nessa estratégia, você deve colocar um exemplo específico como foco principal do parágrafo e desenvolvê-lo com o propósito de justificar o tópico. Esse exemplo deve ser, preferencialmente, de conhecimento geral.

Alguns operadores argumentativos para esse tipo de parágrafo: para contextualizar, por exemplo, a exemplo de, a título de exemplificação, como acontece no caso.

Veja um exemplo: “Em 2013, milhares de manifestantes ocuparam as ruas da capital de São Paulo em reivindicação por melhorias e redução dos preços dos transportes públicos. Nota-se como fatores socioeconômicos também são responsáveis pelos casos. A Revolução Francesa, por exemplo, é considerada o símbolo de “liberdade, igualdade e fraternidade”, visto que mobilizou as camadas sociais infladas da crise econômica no respectivo país. Assim, é evidente que a política externa e interna influenciam na quantidade de manifestações ocorrentes.”

  • ENUMERAÇÃO

 Nesse tipo de parágrafo, o candidato cita os vários argumentos que possui sobre o assunto, um a um, de modo a, literalmente, enumerar uma série de fatos que comprovam a relevância do que está sendo discutido. É importante que a tese explicite bem que haverá uma ordem de ideias no desenvolvimento, citando, por exemplo, que há dois problemas, e destrinchando-os em parágrafos diferentes.

Alguns operadores argumentativos para esse tipo de parágrafo: em primeiro lugar, primeiramente, além disso, ademais, outro fator importante.

 Veja um exemplo: Em primeiro lugar, é imprescindível ressaltar como a carência de medidas públicas gera a ocorrência de tal problema em sociedade. De acordo com Jürgen Habermas, filósofo alemão, para que haja a comunicação plena e o acordo de interesses deve-se existir o agir comunicativo. No entanto, manifestações populares que possuem o objetivo de reivindicar direitos e melhorias são menosprezadas por parte da população e dos políticos, devido à ocorrência de destruição e badernas realizadas por malfeitores que não integram os movimentos.”  

  • COMPARAÇÃO

 Ao desenvolver o parágrafo por comparação, duas ideias são apresentadas e ressaltam-se as semelhanças e/ou diferenças entre elas, por exemplo. Aqui, os operadores argumentativos são essenciais.

Alguns operadores argumentativos para esse tipo de parágrafo: igualmente, como se, da mesma forma, bem como, assim também, assim como, do mesmo modo, tanto quanto, semelhantemente acontece com/quando.

 Veja um exemplo: Semelhantemente, essas mesmas autoridades possuem interesses financeiros na má alimentação dos brasileiros. Conforme Marx, em um mundo capitalizado, a busca pelo lucro ultrapassa valores éticos e morais. Nesse sentido, as grande empresas alimentícias vendem a imagem dos seus produtos atrelados à felicidade e à realização pessoal, quando, na maioria das vezes, essas mercadorias são responsáveis pela degradação da saúde do consumidor. Ainda, de acordo com dados da UnB, as propagandas dessas indústrias induzem a uma má alimentação e atingem fortemente o público infantil.”  

  • CAUSAS E EFEITOS

 Muito comum como estratégia argumentativo, nesse modelo você apresenta os motivos, os porquês, as razões de um determinado problema acontecer e, em seguida, as consequências, os resultados e os desdobramentos.

Alguns operadores argumentativos para esse tipo de parágrafo: porque, já que, visto que, graças a, em virtude de, como reflexo disso, com efeito, assim, consequentemente.

 Veja um exemplo: “É importante pontuar, de início, a omissão do meio acadêmico quanto à má alimentação dos jovens. À guisa de Kant, o ser humano é tudo aquilo que a educação faz dele. As escolas brasileiras, entretanto, negligenciam a saúde dos estudantes ao não instruí-los sobre os riscos da obesidade e as formas de preveni-la. Como reflexo de uma população ignorante frente aos hábitos alimentares ideais, 8,4% dos adolescentes são obesos e mais de 30% das crianças apresentam excesso de peso, segundo pesquisa recente do Ministério da Saúde.”  

  • EVOLUÇÃO HISTÓRICA  

Essa estratégia argumentativa envolve cronologia, ou seja, tempo e espaço. Você precisa saber abordar um fato histórico referente ao assunto em pauta, com datas, locais e fatos ocorridos.  

Alguns operadores argumentativos para esse tipo de parágrafo: antes, depois, posteriormente, quando, logo que, assim que, logo após, a princípio, no momento em que, pouco antes, pouco depois, atualmente, hoje, freqüentemente, nesse meio tempo, sempre que, assim que, desde que.  

Veja um exemplo: “Em primeira instância, cabe destacar o panorama histórico-político da segurança pública que influi em seu perfil hodiernamente. Na época do período militar, acentuou-se o esfacelamento de uma sociedade democrática em virtude da doutrina de segurança nacional, uma lógica puramente autoritária de conduta. Os modelos e as ações de segurança pública limitavam-se à contenção social, com o uso da força e de armas para a repressão. Contudo, essa ótica é perceptível no comportamento das ações policiais que são enfatizadas pelo terror e violência. Um exemplo que permite ilustrar isso, foi a ocupação militar da comunidade da Rocinha, no Rio de Janeiro, marcada pelas guerras entre traficantes e os próprios policiais, ceifando centenas de vidas inocentes no meio do conflito.”  

  • CONTRAPOSIÇÃO  

Aqui você pode contestar uma ideia, por exemplo, afirmando como algo acontece e em seguida dizendo o porquê de não funcionar. Podem ser mostradas duas perspectivas diferentes sobre um mesmo argumento, denotando um contraste de opiniões.

Alguns operadores argumentativos para esse tipo de parágrafo: mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto, senão, embora, ainda que, mesmo que, mesmo quando, apesar de que, se bem que, não obstante, etc.

Veja um exemplo: “Outrossim, é importante destacar o papel da educação no combate a essa situação, já que, assim como preconizado pelo educador brasileiro Paulo Freire, se a educação não pode transformar uma sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. Tal pensamento evidencia o poder transformador da educação. No entanto, a educação oferecida no Brasil pelo sistema público ainda não é expansiva e de qualidade, principalmente, em comunidades carentes, na qual muitos jovens acabam recorrendo ao mundo da criminalidade, aumentando os índices de violência e prejudicando o sistema público de segurança.”