DÉFICIT HABITACIONAL NO BRASIL

TEXTO I

O déficit habitacional é um número que leva em conta o total de famílias em condições de moradia inadequadas. Em 2008, esse número era de 5,8 milhões, com 82% da população na faixa de renda de até três salários mínimos.

São consideradas inadequadas aquelas construções que precisam ser inteiramente repostas, porque foram feitas com material precário, como as favelas; os casos em que mais de uma família mora na mesma casa, a coabitação; o adensamento excessivo, quando mais de três pessoas dividem o mesmo quarto; ou o ônus excessivo de aluguel, em que uma família compromete mais de 30% da renda com aluguel.

Disponível em: http://noticias.r7.com/economia/noticias/entenda-o-que-e-deficit-habitacional-20100727.html Acesso em: 25 jun 2015

TEXTO II

Disponível em: http://www.diarioregional.com.br/2013/11/26/economia/deficit-habitacional-caiu-2-em-cinco-anos-na-grande-sao-paulo/ Acesso em 25 jun. 2015

TEXTO III

A Favelização é o processo de surgimento e crescimento do número de favelas em uma dada cidade ou local. Trata-se de um problema social, pois tais moradias constituem-se a partir das contradições econômicas, históricas e sociais, o que resulta na formação de casas sem planejamento mínimo, oriundas de invasões e ocupações irregulares.

No entanto, ao contrário do que muitas pessoas imaginam, a favela não nasce “do nada”, ou “da preguiça” que as pessoas possuem em procurar trabalho, ou “da ignorância” delas em habitar zonas irregulares de moradia, como os morros. É preciso deixar de lado essa onda de preconceitos e desinformações para que se possa realmente compreender a questão.

A problemática da formação de favelas no espaço da cidade está diretamente ligada a dois principais fatores: a urbanização e a industrialização.

Disponível em: http://www.mundoeducacao.com/geografia/favelizacao.htm Acesso em: 25 jun. 2015

TEXTO IV

Disponível em: http://www.diariosp.com.br/blog/detalhe/12548/moradia-para-todos Acesso em: 25 jun. 2015

Retirado de www.imaginie.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *