Arquivos da categoria: 7º ANO

AS GRANDES NAVEGAÇÕES EUROPEIAS: CORREÇÃO DAS ATIVADES

PÁGINA 110-111:

a) Expansão: o que estava se expandindo naquele momento eram as atividades comerciais que cresceram muito com o Renascimento comercial europeu e agora se expandiam em direção ao Oriente.

b) Marítimo: até o fim da Idade Média, as principais rotas comerciais que ligavam o Ocidente eram realizadas por terra ou pelo Mar Mediterrâneo. Agora essas atividades se rezavam pelos oceanos, sendo o Atlântico a rota principal.

c) Comercial: as atividades comerciais passam a ser a principal razão desse grande esforço europeu no início da Idade Moderna.

d) Cristã: as grandes navegações dessa época foram feitas por navegadores cristãos, que percebiam nessas viagens a possibilidade de expandir a fé.

e) Europeia: os principais navegadores desse período eram representantes de reinos estabelecidos no continente europeu.

 

PÁGINA 114:

a) concordo;

b) discordo, pois em Portugal também foi a burguesia a principal iteressada no desenvolvimento das atividades comerciais;

c) concordo;

d) discordo, pois os árabes já haviam sido expulsos da Península Ibérica com resultado da Guerra da Reconquista, terminada no século XV;

e) concordo.

 

PÁGINA 115:

  1. A tripulação enfrentava dificuldades em vários aspectos, como fome, naufráfios e epidemias.
  2. Eram crianças, em sua maioria entre 10 e 15 anos, que realizavam serviços muito variados, como lavar o convés, manter todos conscientes do horário, servir os marinheiros, entre outras coisas.

 

PÁGINA 118: Resposta certa: B.

PÁGINA 119:

  1. “A feição deles é serem pardos, um tanto avermelhados, de bons rostos e bons narizes, bem feitos. Andavam nus, sem cobertura alguma. Nem fazem mais caso de encobrir ou não suas vergonhas do que de mostrar a cara. Acerca disso, são de grande inocência. Ambos traziam o beiço de baixo furado e metido nele um osso verdadeiro”.
  2. Trechos da carta deixam evidentes de que era plano dos portugueses catequizarem os índios.
  3. Os portugueses interpretavam algumas atitudes dos índios como indicação de que havia outro na terra. No entanto, é preciso ressaltar que essa foi apenas uma leitura que os portugueses fizeram naquele momento, mas que poderia significar nada daquilo.
  4. Acharam a terra muito bonita, e deixaram claro que estavam interessados em ouro e prata.

 

PÁGINA 123: Resposta certa: B.

PÁGINA 128: Resposta certa: 24 = 6=8=10

PÁGINA 130:

  1. RESPOSTA PESSOAL.
  2. Existiam fortes diferenças culturais. O catolicismo era muito forte nos países ibéricos e aumentou a ideia de que era importante levar a salvação a povos considerados “pagãos” ou “selvagens”. Pensava-se que todos os demais povos eram inferiores, e poderiam fazer parte da “civilização” quando tivessem a cultura europeia, o que envolvia também a prática do catolicismo. Ser civilizado, nesse sentido, era ter que partilhar da cultura europeia.
  3. Assim como no caso de Portugal, não havia liberdade religiosa na Espanha. Nas guerras de reconquista,  a luta deveria acontecer contra todos os infiéis, e nessa categoria entravam também os judeus. Isso provocou intensa perseguição. A pressão contra os judeus foi tão grande que obrigou muitos  se tornarem cristãos de maneira forçada. Formava-se o grupo dos cristãos-novos. A perseguição aos judeus era motivada por um verdadeiro fanatismo religioso.
  4. F; F; V; V; F; F; V; V.

 

DEFENDA SUAS IDEIAS:

É nesse período que começa o processo de globalização, no sentido de que os povos de diferentes continentes passaram a manter contato entre si como nunca antes haviam feito. Estilos de vida muito diferentes se encontraram, dando início a um grande intercâmbio de povos, produtos, culturas, enfim, realidades variadas.

 

O QUE VOCÊ VÊ

O conhecimento das dimensões do planeta era muito limitado. No caso de Colombo, por exemplo, em seus cálculos, a Terra seria apenas 25% do que realmente é. Esses conhecimentos se ampliaram com as navegações sobretudo portuguesas e espanholas. Logo, podemos perceber que os continentes neste mapa-múndi são representados de forma desproporcional, além de não aparecerem no mapa as Américas e a Oceania.