1º ANO: CORREÇÃO DAS ATIVIDADES DO MÓDULO III

AGORA É SUA VEZ

  1. Devemos ter em mente que a História é possível de diferentes interpretações, e a História Antiga não foge a essa regra. Além disso, precisamos ter em mente que o trabalho da Arqueologia é de extrema importância para a escrita dessa História. Esse texto, extraído da apostila, aponta isso: “A forma como geralmente esses assuntos são abordados nas escolas dá a falsa impressão de que tudo o que seria possível conhecer sobre a Antiguidade já está desvendado. Porém, a todo tempo, surgem diferentes perspectivas diante de novos achados arqueológicos”.
  2. No topo da pirâmide social figurava o rei, cujo o poder estava ligado à religião; em seguida, vinham os “homens livres”, de cujo grupo faziam parte os sacerdotes,  escribas, funcionários reais, soldados, camponeses, artífices, pequenos proprietários de terras e comerciantes, que tinham menor influência social. Na base, encontravam-se os escravos.
  3. Todas as respostas dessa atividade são de cunho pessoal. Ao respondê-las, tenha em mente o sistema judiciário mesopotâmico e o brasileiro.
  4. a) É provável que o rei queria demonstrar o seu poder e superioridade em relação aos outros povos. Repare que os habitantes de Tela não se prostraram aos pés de Assurbanipal. Ele tinha convicção de que era um representante dos deuses, devendo ser obedecido. ///// b) Em tese, cidades fortificadas, poderoso exército. ///// c) Como podemos perceber, os assírios eram, de fato, um povo bélico, ou seja, um povo que se valia da violência em suas guerras. Observe que, na conquista de Téla, o rei lançou muitos à chama, cortou mãos e dedos, nariz e as orelhas e, em alguns, o rei arrancou os olhos, além de afogar os filhos e filhas.
  5. Resposta pessoal. Podemos destacar que, de forma geral, os rios, na atualidade, não são tratados com o mesmo cuidado do passado. Podemos observar que as cidades cresceram em torno deles, não obedecendo o seu leito, o que leva a inundações em tempos de chuva, por exemplo. Podemos destacar também que o esgoto é canalizado para os rios, contaminando-os. Em decorrência disso, se faz necessário o tratamento dessa água para consumo. Em alguns casos, como o Rio Tietê, em São Paulo, o estado é tão crítico que se torna impossível tratar a água para ser utilizada pela população.
  6. Devemos ter em mente que, na atualidade, a ideia de legitimidade de um governante não se dá a partir da escolha dos deuses, mas da escolha popular. O presidente, governador, prefeito, por exemplo, estão no poder por terem sido eleitos pelo povo e, no caso do Brasil, democraticamente, através do voto. Logo, estes governantes têm responsabilidades e direitos. Por isso, a interlocução com o povo deveria ser muito maior. A diferença é clara em relação ao Egito Antigo, pois sua legitimidade residia no fato de ele ser uma divindade.
  7. Apesar de crerem na vida após a morte, os mesopotâmicos não a entendiam como algo desejável, pois, segundo suas crenças, os mortos habitariam um lugar profundo, escuro, sem ter esperança alguma de algo melhor. Essa ideia fazia com que as pessoas tentassem aproveitar a vida ao máximo, pois o que viria depois não era compensador. Já entre os egípcios, grande parte das atividades religiosas apontavam para a vida após a morte. Prova disso são os textos hieroglíficos que tratam do assunto, como o Livro dos Mortos, a mumificação, a construção de pirâmides.
  8. A
  9. A
  10. a) Crença na vida após a morte, politeísmo e antropozoomorfismo são algumas características da religiosidade presente na iconografia. Tais traços podem ser observados nos deuses que conduzem o morto em cada cena do julgamento. Anúbis tinha cabeça de chacal e habitava o deserto. Thot tinha cabeça de íbis, era associado à Lua e considerado o inventor da Matemática, contador e escriba dos deuses. Percebe-se que muitas dessas atividades eram humanas e realizadas na sociedade. Hórus tinha cabeça de falcão e era considerado o deus do céu. b) Podemos destacar na pintura egípcia duas características: 1) frontalidade: em geral, os corpos estão sempre virados para frente, apesar de as cabeças estarem, em sua maioria, representada em perfil; 2) verticalidade: os egípcios faziam suas pinturas na vertical.

DE OLHO NO VESTIBULAR

  1. Devemos destacar as funções administrativas e religiosas da escrita egípcia, que era fundamental para o domínio do governo faraônico sobre a sociedade. Na atualidade, o analfabetismo é uma barreira para a efetiva participação das pessoas nas discussões políticas e sociais. Por isso, o saber ler e escrever é fundamental ar o exercício da cidadania e deve ser acessível a todos os brasileiros.
  2. C
  3. D
  4. B
  5. D
  6. D
  7. C
  8. Sequência correta das respostas: V, V, F, V, F.
  9. B
  10. B

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *