1º ENSINO MÉDIO: CORREÇÃO DO ESTUDO DIRIGIDO DOS MÓDULOS I E II

Olá, queridos alunos e queridas alunas. 

Vamos à correção das atividades que foram passadas no quadro! Lembre-se: estas atividades funcionam como um resumo para o estudo para  a prova. Porém, não deixe de ler o material do caderno e do livro, ok?

Então, vamos lá!

  1. a) Historiografia é a ciência que estuda a História. É a partir dela que as diferentes interpretações históricas são encontradas. A partir daí, os textos produzidos pelos historiadores são analisados por outros pesquisadores, uma vez que cada um conta um fato histórico a partir de sua visão de mundo. Assim, a Historiografia pode funcionar como um filtro, onde cada pesquisador observa o que foi escrito e como aquilo recebeu influência de um grupo de pessoas ou do pensamento de uma pessoa. ///// b) O historiador é o profissional que cuida do estudo da História. É ele que estuda os documentos históricos, os organiza e, por fim, definem aquilo que é a verdade dos fatos. O livro que usamos, por exemplo, foi organizado por historiadores. ///// c) Fonte histórica ou documento histórico são todos os vestígios deixados pelo ser humano no decorrer do tempo. Como exemplo, podemos citar fotografias, cartas, diários, música, teatro, pinturas, cerâmicas, esculturas, edificações, jornais, livros, revistas, mapas, entre tantos outros. Na atualidade, a História oral, passada de uma geração à outra, também tem sido considerada um documento histórica. ///// c) Podemos dizer que cultura é a maneira como as pessoas entendem o mundo, a sua religião, os diversos papéis atribuídos a cada um dentro da sociedade, bem como a criatividade do humana na arte, arquitetura, música, linguagem, entre outros. Logo, precisamos entender que não existe uma só cultura, mas diversas culturas no mundo. ///// d) Quando falamos de multiculturalismo, estamos nos referindo à diversidade de culturas que existe no mundo. Logo, precisamos ter em mente que não existe superioridade cultural, mas diversidade cultural, que deve ser respeitada.
  2. A História, de forma geral, sempre é contada a partir de relações de poder. Diante disso, muito do que é escrito, leva em consideração um grupo social em detrimento de outro, uma religião em superioridade à outra, etc. Assim, muitos historiadores afirmam que conhecemos a “História dos Vencedores”, pois as camadas mais altas da sociedade acabam por ditar aquilo que seria um correto modo de vida. Diante disso, é comum observarmos que, quando lemos sobre a escravidão no Brasil, por exemplo, as referências que temos é sempre do grupo dominante – o colonizador português -, e nenhuma dos escravos, pois estes, em tese, não escreviam. Na atualidade, as relações de poder continuam quando considerados a História escrita leva em consideração as relações de poder político, religioso e econômico sobre a sociedade.
  3. Tempo cíclico: aquele em que o fim é sempre um novo começo, como acontecia com o calendário asteca, que se reiniciava a cada 52 anos. Tempo linear: neste pensamento, a história do mundo teve um início e caminha para um fim último, como acontece na cultura judaico-cristã que tanto nos influencia.
  4. Fernand Braudel dividiu o tempo em três conceitos: 1) Curta duração: é o tempo dos acontecimentos, caracterizados por eventos breves, como um golpe político, uma disputa eleitoral ou a assinatura de uma lei; 2) Média duração: é o tempo das conjunturas, marcado por transformações mais lentas, mas que podem ser percebidas no decorrer da vida de uma pessoa, como a vigência de um sistema econômico ou a duração do reinado de um monarca; 3)Longa duração: é o tempo das estruturas, formado por processos históricos que demoram longos períodos de tempo para ocorrer. É o caso dos valores morais, que se transformam muito lentamente.
  5.   Annale École (Escola dos Annales): March Block e Lucien Febvre, fundadores da revista “Anais de História Econômica e Social”, faziam uma crítica à análise da história somente sob o viés político. Assim, buscavam diálogo com diversas ciências e a ampliação dos documentos históricos. // Materialismo Histórico (Marxismo): era baseado nas ideias de Karl Marx, que defendia que a História humana era baseada na luta de classes. Defendia que o capitalismo, em algum momento, chegará a seu colapso, o que fará necessário o estabelecimento do comunismo. É hoje o viés histórico mais utilizado nas universidades brasileiras.
  6. Em resumo, segundo o Modelo Criacionista, toda a existência do Universo e da Terra é resultado do trabalho de um Criador,  que cria, a princípio, o matéria e, a partir dela, em seis dias cria tudo o que conhecemos até os dias de hoje, entre 6 e 10 mil anos atrás. No Modelo Evolucionista existe a defesa do surgimento do Universo a partir do nada, onde partículas de matéria aos poucos foram surgindo e, a partir do que se chama “caos primordial”, essa matéria se junta, aumentando as pressões em um núcleo, que levou à explosão o Big Bang, se organizando a matéria a partir daí em bilhões de anos, e se evoluindo. Vale destacar que as duas teorias têm outras correntes que defendem aspectos divergentes, mas com a ideia principal delas sendo defendidas pelos diversos cientistas que as estudam.
  7. O conceito de raça, biologicamente falando, é um conceito que obedece a diversos parâmetros para classificar diferentes populações de uma mesma espécie biológica de acordo com suas características genéticas ou fenotípicas. Segundo as Ciências Humanas, como a História e a Sociologia, raça pode ser entendida como um constructo social, usado para distinguir pessoas em termos de uma ou mais marcas físicas. Em outras palavras, raça é uma categoria usada para se referir a um grupo de pessoas cujas marcas físicas são consideradas socialmente significativas. O Criacionismo acredita que esse conceito, quer seja humanística ou biologicamente, traz sem sai  ideia de diferenças entre os diversos grupos humanos: brancos, pretos, pardos, indígenas, etc. Partindo do pressuposto de que todos foram criados iguais, aspectos relacionado à cor, local de nascimento, aparência física, entre outros, não podem ser levados em consideração, pois pode dar a ideia de superioridade racial, como acontecia no Século XIX, onde os brancos europeus eram considerados superiores aos outros povos.  Assim, o conceito de etnia é comumente utilizado entre os criacionistas, pois  está relacionada à coletividade de indivíduos que se diferencia por sua especificidade sociocultural, refletida principalmente na língua, religião e maneiras de agir.
  8.  a) Australopithecus: postura bípede, aparência semelhante à dos macacos, já começava a caminhar ereto, com cerca de 1m de altura, vivendo em pequenos bandos nas florestas e savanas. ///// b) Homo habilis: primeira espécie do gênero Homo. Não vivia mais em árvores, medindo cerca de 1m., sendo o primeiro a fabricar objetos de pedra, osso e madeira. ///// c) Homo erectus: de 1,3 a 1,7m de altura, andava completamente ereto, começou a dominar o fogo e a lascar a pedra; morava em cavernas e foi a primeira espécie a sair da África. ///// d) Homo sapiens: mais próximo do homem atual, tinha modo de vida parecido com o nosso, se tornando sedentário. ///// e) Homo sapiens sapiens: o homem atual. Desenvolveu a técnica da cerâmica e da metalurgia. Construiu cidades e desenvolveu a agricultura e a criação de animais. Elaborou a linguagem falada e, depois, a escrita. ///// f) Homo neandethalensis (ou Homem de Neanderthal): conviveu com o Homo sapiens. Vivia em bandos. Fabricava instrumentos de pedra, vestia-se com peles de animais e enterrava seus mortos. Comunicava-se por meio de sons articulados.
  9.  a) Paleolítico (ou Idade da Pedra Lascada): teve início com  o surgimento do Homo habilis, há cerca de 2 milhões de anos. Viviam em grupo e garantiam sua subsistência por meio da caça, da pesca e da coleta de frutos e raízes. utilizavam objetos feitos de madeira, pedra, ossos e dentes de animais. O ser humano era nômade, e conseguiram dominar o fogo. ///// b) Neolítico (ou Revolução Neolítica): a cerca de 12 mil anos atrás, os caçadores e coletores haviam acumulado uma razoável bagagem cultural. Já identificavam os animais que podiam caçar e as plantas que eram comestíveis ou úteis para o tratamento de doenças. Desenvolveram crenças religiosas, geralmente ligadas à natureza. O desenvolvimento da agricultura e a domesticação de animais é desse período. ///// c) Idade dos Metais: cerca de 5000 a.C, os instrumentos de pedra aos poucos foram substituídos por metais, a princípio o cobre e, em cerca de 1500 a.C., o uso do ferro. O cobre era mais maleável, podendo ser moldado a frio. Já o ferro exigia mais trabalho, uma vez que só se fundia a uma temperatura de 1100ºC.
  10. Ver a imagem de origemDuas prováveis ocupações: a primeira seria pelo Estreito de Bering, entre a Ásia e a América. Segundo esta teoria, o homem teria atravessado da Rússia para a região do Alaska durante um período de glaciação, a cerca de 15 mil anos atrás. A partir daí, o homem foi ocupando o restante do continente americano. Outra forma de ocupação foi através de povos antigos que navegavam em pequenos barcos, saindo da Ásia e da Oceania, em direção às Américas. Quando observamos nossos povos ameríndios, podemos perceber, por exemplo, que eles têm olhos puxados, como acontecem com os povos asiáticos e os povos aborígenes da Oceania. O que nos difere é, em geral, a cor da pele. É preciso destacar, porém, que com a descoberta do fóssil de Luzia, encontrado no Brasil, tem levantado questionamentos destas teorias, uma vez que teria cerca de 12000 anos, levando a datação da ocupação das Américas em cerca de 50000 anos atrás.
  11.  O Crescente Fértil é de suma importância para o desenvolvimento humano. Acredita-se que a presença dos Rios Tigre e Eufrates, bem como do Rio Nilo, favoreceram o processo de sedentarização do  ser humano, uma vez que a presença de água em abundância favoreceu o desenvolvimento da agricultura. Graças a isso, os primeiros núcleos urbanos passaram a existir, dando origem às primeiras civilizações da humanidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *