1º ANO: CORREÇÃO DO ESTUDO DIRIGIDO – ORGANIZAÇÃO DO CONHECIMENTO GEOGRÁFICO

  1. a) biogeográfico: abrange uma imensa esfera composta pelos seres vivos, vegetais e animais, que dependem dos demais sistemas para manter o seu equilíbrio. ///// b) hidrográfico: diz respeito aos corpos d’água, como rios, lagos e oceanos. Todos os elementos que interferem em sua dinâmica – clima, atividades antrópicas e vegetação – devem ser levados em consideração. ///// c) geológico: se refere à estrutura rochosa do planeta, que serve de base para organização dos demais conjuntos, como o biogeográfico, o hidrográfico, atmosférico, etc. ///// d) atmosférico: em tese, podemos afirmar que englobam os fenômenos meteorológicos, como as precipitações e as temperaturas, interagindo principalmente com os sistemas biogeográfico, hidrográfico e antrópico.
  2. Como exposto anteriormente, a ciência geográfica se vale do estudo sistêmico. Logo, todo estudo geográfico levará em consideração o estudo integrado dos diversos sistemas: biogeográfico, hidrográfico, geológico, atmosférico e antrópico.
  3. Já na Grécia e Roma Antigas, a compreensão do espaço já era utilizado com forma de dominação dos povos. Quanto mais território fosse conquistado, maior o poder de um povo, nação ou reino. Durante o século XIX, quando a Geografia foi organizada como ciência, ela foi utilizada para a legitimação de um processo de unificação das nações, sobretudo a Alemanha e a Itália, que passaram por seu processo de organização enquanto países tardiamente. Diante disso, as teorias geográficas do período têm estreita ligação com a necessidade de organização destas nações dentro de um espaço geográfico, e até mesmo de dominação de outros povos para aumentar o raio de influência destas nações. A Alemanha e a França, por exemplo, que eram nações inimigas, foram as primeiras a implantar a Geografia nas universidades. Os conflitos entre estes países, ocasionados pela disputa de territórios, foram definidos no desenvolvimento do pensamento geográfico da época, pois a excelência na ciência representava mais oportunidades de vitórias militares.
  4. Pensamento criado por Friedrich Ratzel, o determinismo geográfico defende a influência total da natureza na organização da sociedade, enfatizando especialmente o clima como fator determinante de status social; diante disso, os habitantes dos trópicos estavam “condenados” pela natureza a serem povos inferiores, enquanto os habitantes das zonas temperadas estavam destinados ao progresso. Com base nesse raciocínio, a Alemanha apresenta as condições naturais ideais para estabelecer a hegemonia mundial.
  5. Vidal de La Blache, em oposição à ideia de determinismo geográfico defendida por Friedrich Ratzel, trará à discussão o possibilismo. De acordo com essa doutrina geográfica, a capacidade humana pode transformar a paisagem natural e mudar a imposição da natureza em relação ao desenvolvimento dos povos. Define-se então a relação homem-natureza com o objeto da Geografia e denominou “gênero de vida” a adaptação do homem ao meio, com suas técnicas, hábitos e costumes, organizados e transmitidos na sociedade. O progresso dependia, então, da assimilação de gêneros de vida pelas diversas sociedades. A imigração ou a colonização possibilitariam às culturas existentes caminhar rumo à padronização das técnicas de transformação da natureza.
  6. Ratzel definiu o território como espaço vital, ou seja, como a relação entre a população e os recursos necessários para suas necessidades. Diante disso, conforme o Estado se desenvolvia, aumentava a necessidade de ampliar seu espaço vital. Esse argumento se tornou justificativa par o desencadeamento de conflitos territoriais.
  7. a) Geografia Quantitativa: se apropria dos cálculos matemáticos e a formulação de dados estatísticos para quantificar os efeitos da Segunda Guerra Mundial, além de promover a organização da política nacional. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é um exemplo de órgão que se vale dessa metodologia. ///// b) Geografia Pragmática: defende a necessidade de criar uma tecnologia geográfica capaz de utilizar o conhecimento na prática e apresentar soluções aso problemas observados no presente. Pretende ser uma ciência aplicada e com competência de interferir no futuro. Considerada conservadora, ela não discute o social, sendo mais tecnicista a serviço do Estado, tendo suas bases nos estudos sistêmicos e matemáticos. ///// c) Geografia Crítica: provoca o aprofundamento das questões sociais, integra novos temas e passa a ser um instrumento de ação política. Nesse sentido, o marxismo norteia um expressivo número de autores que interpretam as relações de trabalho e analisam as diversas facetas do capital.
  8. Em tese, podemos definir assim estes conceitos: a) PAISAGEM: conjunto de elementos naturais e/ou culturais que podem ser percebidos ou imaginados pelos seres humanos. ///// b) LUGAR: a experiência vivida no espaço geográfico com o qual o homem está integrado. Traz em si a ideia de pertencimento, repleto de significados, podendo ser interpretado conforme a história de cada um. ///// c) REGIÃO: diretamente relacionada à proposta de se estabelecer limites políticos ou naturais para as áreas que apresentam semelhanças sociais ou físicas. ///// d) TERRITÓRIO: apropriação do espaço físico por uma nação ou outra unidade político-administrativo. Deve-se lembrar que o território, geralmente, está intimamente ligado às relações de poder de uma nação.
  9. No Criacionismo, acredita-se que a Terra tem hoje uma idade entre 6 e 10 mil anos, tempo considerado curto quando se compara com outras teorias. No que se refere à origem, toda natureza foi criada em seis dias. Se foi criada, logo depreende-se que Deus, um ser onipotente, planejou e ordenou a criação do Universo e da Terra. O Evolucionismo considera que a terra tem cerca de 4,6 bilhões de anos. No que se refere à origem, a natureza como a conhecemos na atualidade é resultado de um processo evolutivo. Quanto à forma como isso tudo aconteceu, houve uma convergência de fenômenos, chamada de acaso, de onde houve a origem do Universo e da Terra.
  10. Segundo o Modelo Evolucionista, a formação da Terra e da vida na mesma se deu no decorrer de eras. Destacamos aqui: a) Paleozoica: nesta era, a porção sólida da Terra integra uma única massa continental. A vida se modifica em lento processo evolutivo. Surgem aí as gigantescas florestas, uma significativa diversidade de vida aquática e terrestre, e os movimentos orogenéticos. Os diastrofismos (diversos processos tectônicos) formam cadeias de montanhas e bacias sedimentares. ///// b) Mezozoica: ocorrem as constantes modelagens do relevo pela ação vulcânica, erosão e sedimentação; grandes répteis, mamíferos  e aves estendem seu domínio sobre a Terra; a extensa massa chamada Pangeia é dividida em duas partes: Gondwana e Laurásia. ///// c) Cenozoica: essa é a era mais recente, dividindo-se entre o Paleogeno (terciário) e o Neogeno (quaternário). Os dinossauros são extintos na época do Paleoceno, na qual surtem os dobramentos modernos. No Mioceno, aparecem os primeiros hominídeos, enquanto no Holoceno ocorrem as recentes glaciações e a formação das primeiras civilizações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *